«

»

fev 02 2014

Imprimir Post

Nascar muda completamente o Chase para 2014

A Nascar alterou pela terceira vez o sistema de classificação e disputa do Chase for Sprint Cup. Mas desta vez as mudanças foram significativas, e não necessariamente lógicas ou facilmente compreensíveis.

Para começar o novo Chase começará com um aumento para 16, na quantidade de pilotos que começarão a disputa final da Sprint Cup. E os elegíveis começam pelos vencedores de pelo menos uma das provas da fase inicial (as primeiras 26 etapas), desde que esteja classificado na pontuação até o 30º colocado.

Se houver mais de 16 pilotos vencedores, o desempate será pelo número de vitórias; permanecendo empate a decisão será pela pontuação no campeonato de pilotos.

No caso improvável de que o líder no campeonato, após a 26ª etapa, não tenha vencido nenhuma prova no ano, então ele ficará com a 16ª e última colocação para a disputa do Chase.

Caso houver menos de 16 vencedores – o que as estatísticas mostram ser o mais esperado – a classificação da temporada regular valerá para definir as vagas restantes nestas posições. A chegada a esta fase garante que os pilotos alcancem uma pontuação de 2000 pontos mais 3 pontos por vitória (mesmo valor das últimas temporadas) e não sejam mais alcançados pelos demais concorrentes.

Além disso os eleitos terão que ter participado de todas as 26 etapas – embora a comissão da Nascar possa relevar se for o caso de força maior, tipo acidente ou doença do piloto.

Para as dez etapas finais, o novo Chase será dividido em três rodadas – cada uma delas composta por três provas. Ao final de cada rodada tripla haverá o descarte dos quatro piores pilotos do Chase, excetuados os pilotos que vencerem alguma dessas provas.

Quem passar para a segunda rodada (que a Nascar denominará de Contender Round) passará a contar com 3000 pontos (e agora sem adicionar nenhum bônus por vitória). Assim quem vencer uma das três provas da primeira rodada do Chase (a Challenger Round), já garante a subida à segunda rodada, independentemente de seus resultados nas outras duas provas.

Quem passar para a terceira rodada (a Eliminator Round) passará a contar com 4000 pontos. Novamente quem vencer uma prova, já garante a passagem para a etapa final.

A “Finish-to-the-Finish Championship Finale” é a décima e última do Chase. Nessa última prova da temporada, apenas quatro pilotos sobraram no Chase – cada um passando para 5000 pontos -, e a definição do título será entre quem chegar mais a frente, em sua classificação. Importante ressaltar que não valem mais os pontos, nem os bônus, anteriores. Simplesmente o campeão será aquele – dos quatro ainda na disputa – que chegar mais à frente ao final da prova.

Para os pilotos que vão sendo eliminados conforme as regras das rodadas, os pontos são resetados para 2000 ao final da conclusão da bateria que deixou o competidor de fora do restante do campeonato. Eles continuam a pontuar normalmente nas corridas restantes, sem novos ajustes. Assim, a pior posição que um piloto que saia da disputa pelo título logo no Challenger, por exemplo, pode terminar o campeonato, é a de 16º.

Agora a pergunta que cabe é: precisava inventar tanto assim, fazer as coisas mais difíceis para os espectadores entenderem. E além disso, esquecer toda a pontuação dos quatro finalistas e partir para quem chegar mais à frente?

Muitos me perguntam: será que não haverão mais totós mais ou menos descarados, para tirar o “inimigo” do caminho? O próprio presidente da Nascar, Brian France, perguntado sobre esta questão, declarou: “possivelmente haverá mais toques entre os pilotos”.

Que cada um se prepare para emoções e acidentes – quem sabe mais big-ones – do que nunca em 2014.

Só lembrando que a Nasar já tinha anunciado grandes mudanças para as classificações.

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=10038

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>