Kyle Larson perde tudo por palavra racista

Kyle Larson perdeu patrocínios, foi punido indefinidamente pela Nascar, e perdeu o emprego de piloto titular da Chip Ganassi, após proferir palavra de cunho racista numa corrida virtual.

Foi neste último domingo, quando o jovem piloto californiano, de 27 anos, no meio de uma corrida virtual, que estava sendo transmitida também pela TV americana, proferiu uma expressão racista – algo como “seu preto” em português.

Num primeiro momento Larson perdeu três dos maiores patrocinadores do carro #42: First Data, McDonalds e Credit One, que divulgaram seu desagrado pela palavra proferida no ar, e comunicaram que não mais estariam patrocinando o piloto.

A própria Nascar se manifestou na segunda-feira, depois da repercussão da situação, e o suspendeu por tempo indefinido, das corridas da Nascar. Ela declarou que no futuro, ele poderá até ser readmitido na categoria, mas teria que passar por um curso de reciclagem, chamado de “Driver for Diversity”, que o próprio piloto já frequentou no início de sua carreira, já que sua mãe é japonesa.

Na mesma segunda-feira a plataforma de ESports iRacing, baniu o piloto de suas corridas, e a Chip Ganassi o suspendeu sem salário.

Mas as repercussões negativas continuaram, e nesta terça-feira a equipe declarou: “Depois de muita consideração, a Chip Ganassi Racing determinou que encerrará seu relacionamento com o piloto Kyle Larson. Como dissemos antes, os comentários feitos por Kyle foram ofensivos e inaceitáveis, especialmente considerando os valores de nossa organização”.

A carreira de Larson nas categorias principais começou em 2012. Na K&N Pro Series East, categoria regional de maior relevância da NASCAR, Larson venceu duas corridas e o campeonato em sua temporada de estreia. Ele também fez quatro provas na Truck Series. Já comprometido com a Ganassi, Larson subiu para a Xfinity Series em 2013, além de fazer quatro corridas na Cup e mais duas na Truck.

Em 2014, Ganassi promoveu Larson para a Cup Series em período integral, no carro que foi de Juan Pablo Montoya. Sua primeira vitória na Cup aconteceu em 2016, em Michigan. Esta temporada seria a última de Larson sob seu contrato atual com a Ganassi. Seu nome era cotado tanto na Hendrick Motorsports quanto na Stewart-Haas Racing, para 2021.

A punição sofrida pelo piloto, entretanto, parece desproporcional à ofensa por ele causada. Em situações similares, dois pilotos sofreram suspensão pela Nascar de 2 e 8 corridas, mas Larson sofreu uma punição por prazo indefinido, sem que a ele seja dada a opção de provar seu verdadeiro arrependimento. A todos parece que se deva dar, sempre, uma segunda chance, após a merecida punição.

Confira um resumo da carreira de Larson na Nascar Cup.

866.844FJPB118.1

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=13015

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com