Saída da Audi, põe em dúvida permanência da BMW

A Audi só competirá esta temporada no DTM, e a BMW afirma que não há sentido em competir contra si mesma em 2021, colocando uma séria ameaça à continuidade da categoria.

Klaus Fröhlic, diretor da marca bávara, admitiu que a continuidade está em questão: ‘Temos de esperar e ver como se desenvolve o impasse atual. Há muitas coisas acontecendo. No curto prazo, a anterior abordagem do DTM tem um problema e podemos ter que pensar fora da caixa”.

Klaus continuou: “Haverá certamente uma pausa e talvez uma interrupção. Mas o DTM já passou por isso antes na sua história e voltou” – se referindo ao período de 1996 à 1999.

“Uma coisa é clara – a nossa estratégia desportiva segue a estratégia corporativa. Mas estamos numa situação em que a BMW não pode competir contra si mesma no DTM. Eu e o Gerhard Berger [diretor do DTM] precisamos pensar sobre como proceder, e o que pode ser conseguido para superar esta situação’, concluiu o dirigente alemão.

Com “apenas” seis títulos no DTM – contra os oito da Mercedes, que se retirou em 2019, e os onze da Audi -, a BMW poderia aproveitar e melhorar esse indicador, voltando a ser campeã depois de quatro anos, porém, mercadologicamente falando, não tem sentido lutar contra ela mesma numa categoria onde as vitórias dão bons impulsos às vendas dos carros de rua.

479.002FJPB78.1

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=13138

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com