MotoGP: Joan Mir líder mas agora com vitória

Até a semana passada o espanhol Joan Mir era o líder da MotoGP 2020, mas não tinha nenhuma vitória. Hoje, no GP da Europa, em Valência, Mir conseguiu enfim sua inédita vitória.

Com isso, além de aumentar sua liderança no Campeonato de Pilotos, agora com 37 pontos de vantagem sobre Fabio Quartararo, se junta aos outros oito pilotos que já venceram nesta atípica temporada da categoria rainha.

O pódio valenciano também contou com as presenças de Alex Rins, seu companheiro de Suzuki, que obteve um 1-2 muito importante para a história da fabricante japonesa, e de outro espanhol – em mais um triplete de espanhóis na MotoGP – Pol Espargaró, que chegou em terceiro com sua KTM.

A melhor Honda chegou em quarto lugar, com Takaaki Nakagami, da LCR Honda, enquanto a melhor Ducati apareceu na sexta colocação, com Jack Miller da Pramac Racing.

Já a penalizada Yamaha, que até está vendo seus próprios pilotos reclamarem da performance, e dos erros básico da fabricante japonês, teve Valentino Rossi apenas na penúltima colocação (problema de motor), com Maverick Vinhales – que continua reclamando da sua moto – chegando na 13ª colocação, apenas uma à frente de Fabio Quartararo. Sua melhor moto chegou em 11º pelas mãos de Franco Morbidelli, da equipe satélite SRT.

» Confira os melhores classificados na prova:

#Piloto (Nac)MotoPtos
Joan Mir (ESP)Suzuki25
Alex Rins (ESP)Suzuki20
Pol Espargaró (ESP)KTM16
Takaaki Nakagami (JAP)Honda13
Miguel Oliveira (POR)KTM11
Jack Miller (AUS)Ducati10
Brad Binder (AFS)KTM9
Andrea Dovizioso (ITA)Ducati8
Johann Zarco (FRA)Ducati7
10ºDanilo Petrucci (ITA)Ducati6

Pol Espargaró leva a pole em Valência

O primeiro GP em Valência, a ser disputado no domingo no circuito de Ricardo Tormo, terá Pol Espargaró largando da pole num GP que está recebendo o nome de GP da Europa.

Rins, Espargaró e Nakagami fazem a
primeira fila do grid no GP da Europa

Ao seu lado, na primeira fila, estarão largando também Alex Rins e Takaaki Nakagami. São três marcas diferentes nesta fila, com KTM, Suzuki e Honda. Já a Ducati aparece duas vezes na segunda fila, com Johann Zarco em quarto e Jack Miller em sexto. Entre os dois outra Suzuki, desta vez a pilotada por Joan Mir.

E a Yamaha, punida com perda de 50 pontos entre as equipes, só viu sua melhor moto aparecer apenas na nona posição do grid, pilotada por Franco Morbidelli.

Já Valentino Rossi, piloto da Yamaha MotoGP – a equipe oficial da fábrica japonesa -, que conseguiu provar que não estava mais com a Covid-19, só conseguiu a 18ª posição de largada do grid.

» Confira os melhores no grid da prova:

#Piloto (Nac)MotoEquipe
Pol Espargaró (ESP)KTMKTM Factory
Alex Rins (ESP)SuzukiTeam Suzuki Ecstar
Takaaki Nakagami (JAP)HondaLCR Honda
Johann Zarco (FRA)DucatiAvintia
Joan Mir (ESP)SuzukiTeam Suzuki Ecstar
Jack Miller (AUS)DucatiPramac Racing
Aleix Espargaró (ESP)ApriliaAprilia Factory
Miguel Oliveira (POR)KTMKTM Tech3
Franco Morbidelli (ITA)YamahaYamaha SRT
10ºBrad Binder (AFS)KTMKTM Factory

Várias questões afetam o GP da Europa

Esta semana a MotoGP vai para sua primeira corrida em Valência, no circuito Ricardo Tormo, que tem o nome de GP da Europa, mas com várias coisas atrapalhando fora da pista.

A primeira questão se refere aos pilotos que estariam fora da prova, por causa da Covid-19. Valentino Rossi, que continuava até quinta-feira com a doença, acabou recebendo um teste negativo e, mesmo perdendo os treinos desta sexta-feira, quando o americano Garrett Gerloff, que competiu a temporada 2020 pela SuperBike, vai fazer a classificação e a prova normalmente.

Já o espanhol Iker Leucona, que nunca teve a Covid, mas que teve um contato muito próximo com o irmão e assessor pessoal seu – este sim positivo para a Covid-19 -, não poderá competir, e portanto perderá a corrida.

A outra, muito mais grave, se refere à grave infração a que a Yamaha incorreu quando, na primeira prova desta temporada, trocou as válvulas de seus motores, sem comunicar à FOM. Descoberta acabou, nesta semana punida com a perda de 50 pontos – mas apenas para a equipe – tendo os pilotos se livrado de qualquer punição. Esta é uma atitude que, por muito menos, os pilotos também são punidos com a exclusão da prova, ou a perda total daqueles pontos obtidos de forma irregular.

A FOM não declarou explicitamente porque não puniu os pilotos, já que os mesmos se beneficiaram de uma ilegalidade flagrante da equipe. Repetindo que foi uma infração muito grave, que remete a questão da confiança e/ou confiabilidade da marca para seus fãs.

Apenas uma pequena punição sobrou para um de seus pilotos, Maverick Vinhales, que terá de largar do pitlane no domingo. Mas esta punição não foi pelo caso das válvulas, mas sim porque sua moto teve que ter seu quinto motor também trocado, ultrapassando o limite estabelecido no regulamento.

Mas um compatriota seu, embora concorrente, Alex Rins, que pilota para a Suzuki, reclamou que Maverick deveria largar todas as três últimas corridas do pitlane, e não apenas a deste domingo. Seu argumento é que Vinhales terá, nas duas outras corridas, a vantagem de ter um motor novo, enquanto seus oponentes terão que se precaver e poupar seus próprios motores.

Outro concorrente, e também compatriota, Alex Marquez, da Honda, declarou que não só a Yamaha tinha trapaceado, no caso das válvulas trocadas, como seus pilotos sabiam da situação de ilegalidade e que se beneficiaram da situação, se safando sem punição alguma.

252.879FJPB1.028

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=15702

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com