Confirmado: Suzuki sai da MotoGP

Finalmente a Suzuki confirmou a notícia bomba que circulou no dia 2 pelo paddock da MotoGP: a saída da equipe da categoria ao final deste ano. A equipe já se reuniu com todos e passou a notícia.

O espanto e a incredulidade se deram pela posição da equipe no Campeonato, onde ela não está no fim da tabela mas sim está na liderança dela. É certo que nenhum de seus dois pilotos está na liderança do Campeonato de Pilotos, mas Joan Mir – campeão em 2020, está na quinta colocação. Já seu outro piloto, Alex Rins, está em terceiro.

Portanto não parece haver nenhum sentido nessa notícia – que só foi oficialmente confirmada pela equipe dez dias após o estouro da bomba.


São quase 1.500 biografias e estatísticas de Pilotos dos mais importantes Esportes a Motor no Mundo

Na terça-feira da semana passada a Dorna – que detém os direitos da MotoGP – veio a público declarar que a Suzuki não pode simplesmente decidir sair de forma unilateral. Existe um contrato, que vai até o final de 2006, e que a Suzuki tem que respeitar, sob pena de multas.

Ela declarou que atualmente todas as equipes tem contratos válidos até o final de 2026, mas que se a Suzuki realmente sair da categoria, ela poderia facilmente colocar outra interessada, mantendo o grid de 24 motos, idealmente dividida entre seis fabricantes (ou seja quatro motos por marca).

Atualmente a divisão é diferente, com a Ducati tendo oito motos, a Yamaha, Honda e KTM tendo quatro cada, enquanto a Suzuki e a Aprilia tem duas motos cada.

Até aquele momento (18 horas de 03 de maio) a Suzuki ainda não tinha oficializado a situação. Hoje a confirmação oficial mostra que tudo foi unicamente por falta de orçamento da direção central da empresa.

Não é a primeira vez que a Suzuki abandona a MotoGP. Em 2011 ela o fez – e novamente numa situação de bons resultados de seus pilotos, como Barry Sheene, Kevin Schwantz e Kenny Roberts Jr. A Suzuki retornou à categoria rainha no ano de 2015 e agora, sete anos apenas depois disso, volta a pular fora do barco.

As tratativas para a saída oficial, segundo o anúncio de hoje, já estão em andamento. Essa ação afetará dois pilotos: Joan Mir e Alex Rins, além de outros 45 profissionais, que nunca esperavam uma notícia desta dimensão.

Se você quer ver muitas estatísticas, aqui é o lugar certo. São mais de uma centena de estatísticas
899.586FJPB434.1

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=24504

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com