DTM: Red Bull e Fraga se retiram da categoria

A Red Bull anunciou sua saída do DTM, a máxima categoria de carros turismo na Europa, após dois anos de participação. Muito ligada à Gerhard Berger essa decisão já era esperada.

Com isso a AF Corse, que disputou as temporadas com apoio da financeiro da Red Bull, usando duas Ferraris 296 GT3, se retira da próxima temporada, e seus dois pilotos – Nick Cassidy e Felipe Fraga – também estão fora da temporada 2023.

Para 2023 o neo-zelandês continuará com o seu envolvimento com a Fórmula E, onde corre desde 2021, enquanto o brasileiro voltará a disputar a Stock Car, onde obteve o campeonato da temporada 2016, e foi vice-campeão em 2018.

Atualização:

ADAC absorve o DTM

Neste 02 de dezembro foi concluída a incorporação do DTM pela ADAC que passa a ter todos os direitos sobre essa marca a partir de agora, marca que deixará de existir de forma independente.

Não se sabe se Berger terá algum papel na nova organização, nem qual será a posição do DTM dentro do portifólio da ADAC. Uma reunião está marcada para os próximos dias, quando essa e outras questões devem ser tratadas.

Atualizado em 02/12

Em 1º de dezembro o ex-piloto Gerhard Berger já tinha dissolvido a empresa ITR, que comandava a organização do DTM, mas informava que continuava em negociações para que a ADAC mantenha o DTM, mas sob seu próprio comando.
Numa reunião com toda a sua equipe, em Munique nesta quarta-feira, Berger anunciou que a ITR não vai organizar a temporada 2023 do DTM. E que espera que seu negócio seja dissolvido ordenadamente.
A dissolução da ITR não significa, necessariamente, que o DTM será extinto, mas a situação parece ficar cada vez mais crítica. Entretanto uma coisa parece certa: se as negociações não forem bem sucedidas, aí sim não haverá futuro para a categoria, embora a história já tenha passado por situação algo similar entre os anos de 1996 à 1999, quando não houve campeonato do DTM.

O DTM e a ADAC GT Masters, após conversas ao longo de algumas semanas em novembro, decidiram que os direitos do nome DTM fossem adquiridos pela ADAC. Nenhuma das categorias divulgaram ainda seus respectivos calendários, mesmo já estando se encerrando o ano.

Essas negociações seriam impensáveis dois anos atrás, quando o DTM substituiu suas regras Class One pelas do GT3. Naquele momento até uma guerra de palavras aconteceu entre o dono da ITR, Gerhard Berger, e o então presidente da ADAC, Hermann Tomczyk. Entretanto as disputas entre as duas entidades foram suavizadas, com Berger tendo se encontrado com Hermann e seu substituto – Gerd Esner – em julho, em Norisring.

Será possível a ADAC absorver o DTM?

Os persistentes rumores podem realmente ocorrer, e a união das duas categorias poderia resolver v´rios dos problemas que ambas enfrentaram em 2022.

Se a ADAC GT Masters absorver o DTM, ela terá a oportunidade de estabelecer uma verdadeira pirâmide nos esportes a motor alemães. O DTM ficaria no topo dessa pirâmide, com o GT Masters ficando com os talentos de fábrica da GT3, enquanto a GT4 Alemã ficaria com a série de entrada. A ITR revelou suas conversas com a ADAC, entretanto nenhum comentário foi feito, até o momento, sobre uma possível aquisição.

Equipes, circuitos e fabricantes não tem tempo sobrando antes de decidir sobre seus calendários de corridas para 2023. O fato de nada ter sido até agora anunciado, com certeza indica grandes dificuldades, e não se pode descartar que nada seja acordado, e tudo permaneça como está, por enquanto.

1.071.768FJPB1.581

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=27883

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com