KTM vem para a MotoGP 2019 com presença em dobro

KTM de fábrica e sua satélite Tech3

A KTM se vê frente a um ano extremamente importante em sua ainda pequena história na MotoGP. Entrando agora na terceira temporada na classe rainha, a marca chega embalada pela conquista de seu primeiro pódio, no GP de Valência do ano passado, mas, mais do que isso, tem em sua própria preparação seu maior trunfo.

Caçula entre as fábricas da MotoGP, a escuderia austríaca duplicou seu esforço no esporte, já que a partir da temporada 2019 contará com uma equipe satélite. A KTM abriga agora a experiente Tech3 e contará com quatro motos RC16 na pista, e todas na configuração de fábrica.

Após sua estreia, resgatando a equipe de Hervé Poncharal quando da saída inesperada de Jonas Folger da MotoGP, Hafizh Syahrin ganhou uma nova chance, ainda que não tenha feito a segunda metade de temporada desejada em 2018, e vai formar dupla com Miguel Oliveira. O português deu mostras de seu talento na Moto2 e é a personificação daquilo que a KTM deseja: alguém que esteve com a marca nas divisões menores.

Mas a equipe comandada por Mike Leitner também tem um novo integrante. Destaque desde a estreia na MotoGP, Johann Zarco chega para formar dupla com Pol Espargaró. Certo ou errado em sua decisão, que foi tomada de forma precoce, o francês já mostrou qualidade e pode ajudar a KTM a avançar com seu protótipo de 1000cc. Zarco, por sinal, é o modelo ideal para o método KTM, já que chegou ao Mundial de Motovelocidade depois de passar pela Red Bull Rookies Cup, uma categoria de base apoiada pela fábrica.

Responsável pelo primeiro pódio da RC16 na MotoGP, Pol vai encarar um cenário diferente em 2019, mas a mudança não parece ter causado impacto, uma vez que o irmão de Aleix se mostrou confortável nos testes e já falou até em conquistar algo importante no Catar, na abertura da temporada 2019.

Agora com Espargaró, Zarco, Syahrin e Oliveira, a KTM tem nas mãos pilotos dos mais diferentes estilos e, com o dobro das informações, terá a chance de acelerar seu processo de desenvolvimento. Além desse quarteto, Mika Kallio segue trabalhando nos bastidores e o finlandês já provou mais do que uma vez a qualidade de seu feedback no desenvolvimento do protótipo.

Seu trunfo maior, porém, vai ficar de fora das corridas. Depois de 13 anos consecutivos com a Honda na MotoGP, Daniel Pedrosa se aposentou, mas assinou com a KTM para atuar como piloto de testes. Muito embora os planos da marca tenham sido atrasados por uma inesperada fratura na clavícula, o #26 já teve a chance de provar a RC16 e dar algumas sugestões aos engenheiros da fábrica KTM.

FJPB98

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=7805

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com