FIA solta Diretiva Técnica sobre o Porpoising

A FIA soltou a diretiva técnica (TD 39/2022) especificamente para medir e garantir atuação adequada das equipes quanto às regulagens que fizerem para evitar/diminuir o “porpoising“.

A diretiva define o uso da telemetria dos carros, que será utilizada para se obter e analizar os dados dos potenciômetros durante três voltas rápidas consecutivas (sem o uso do DRS), para detectar e examinar profundamente as frequências dos rebotes de cada carro.

Uma vez passadas as verificações, as equipes terão que congelar os valores relacionados à altura, molas e amortecedores, bem como a configuração aerodinâmica. Após o TL3, cada equipe terá que apresentar prova de conformidade aos comissários da FIA.

O raciocínio por trás da nova diretiva técnica é muito válido. A FIA cumpriu seu objetivo de se preocupar com um potencial problema de segurança, reconhecido pelos pilotos e equipes, conseguindo também (com uma interpretação inteligente das regras) obrigar as equipes a enfrentar o problema com seriedade.

https://pypbr.com/f1/

A única contraindicação para a FIA é a inclusão no já complexo sistema regulatório (técnico, esportivo e econômico) de um novo procedimento adicional cujo controle não promete ser muito simples.

Para a recolha de dados relativos aos ressaltos provocados pelo porpoising, cada piloto deverá completar três voltas consecutivas (sem utilizar o DRS) a um ritmo rápido e constante. Se a FIA suspeitar em algum momento que o ritmo está deliberadamente abaixo da velocidade real do carro, o piloto terá que repetir o procedimento.

Repetindo o que escrevemos acima, uma vez que todas essas verificações tenham sido aprovadas com sucesso, os valores de altura, as configurações de mola e amortecedor, bem como a configuração aerodinâmica do carro serão congelados.

Ao final da última sessão de treinos livres (FP3), cada equipe apresentará à FIA uma espécie de formulário contendo todos os parâmetros em questão, que obviamente terão que estar dentro dos limites estabelecidos pelo órgão dirigente da Fórmula 1.

Posteriormente, serão permitidas modificações nestes parâmetros desde que as condições de qualificação sejam diferentes das da sessão de TL3. Ou seja, se o Treino Livre 3 for disputado em pista seca e a qualificação for declarada como sessão molhada, por exemplo, os mecânicos receberão permissão especial para modificar as configurações relacionadas à última diretiva técnica TD 39/2022.

Se você quer ver muitas estatísticas, aqui é o lugar certo. São mais de uma centena de estatísticas
941.926FJPB344.1

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=25384

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com