Entenda mais a Nascar

A NASCAR (que na verdade não é um nome mas sim uma sigla: National Association for Stock Car Auto Racing) é uma associação totalmente privada, e que foi criada no ano de 1948, quando Bill France criou a associação dos Stock Cars americanos, para unificar as corridas dispersas, que aconteciam por todo o território americano.

A primeira corrida sancionada pela NASCAR aconteceu em fevereiro de 1948, em Daytona, e foi vencida por Red Byron, piloto de Atlanta. Já em 1949, foi criada a primeira divisão de corridas americana.

Como associação a NASCAR é muito mais que as três séries principais, e mais conhecidas de todos: A Sprint Cup (a principal divisão), a Nationwide Series (a segunda divisão), e a Truck Series (terceira divisão, e por onde começam a maioria dos jovens pilotos a entrar no topo do automobilismo de turismo nos EUA.

Existem dezenas de outras subcategorias, que disputam ou num grupo de estados americanos, ou apenas num único. Em geral dessas divisões estaduais é que saem os pilotos americanos que começam no turismo. Uma das maiores dessas é a K & N Pro, onde em 2012 correu o brasileiro Carlos Iaconelli.

Nas divisionais (ou estaduais) é que houve tanto a primeira vitória de um brasileiro, quanto o primeiro campeonato vencido por um nacional: no dia 24 de julho de 2011, a primeira vitória brasileira foi com um jovem piloto, de apenas 15 anos, Pietro Fittipaldi, neto de Emerson Fittipaldi, que largou na pole e liderou as 25 voltas da prova, disputada pela categoria Whelen All American Series, na Late Models Limited, em Charlotte, Carolina do Norte. Pietro se sagrou campeão nesse mesmo ano, nessa mesma série.

Conheça um pouco mais das principais divisões da NASCAR:

Nascar Cup (Sprint Cup, e Monster Cup a partir de 2017)

Considerada a primeira divisão da NASCAR, a Nascar Cup tem 36 corridas ao longo do ano. Os pilotos utilizam carros com motor V8 e 850 CV de potência. É nessa categoria que competem as grandes personalidades do automobilismo norte-americano.

Nascar Series (Nationwide Series, e Xfinity Series a partir de 2015)

Considerada a segunda divisão, a Nationwide Series usa os mesmos carros que a Sprint Cup, porém menos potentes, 800 CV de potência (em geral com modelos de 1 ou 2 anos de atraso em relação ao seu lançamento na Nascar Cup). É usada para testes de equipes e treinamento de pilotos que querem migrar para a Cup. Em 2013 aqui correu, na temporada completa, o brasileiro Nelson Piquet Jr.

Camping World Truck Series
Diferente das outras duas categorias, na Camping World Truck Series os pilotos usam pick-ups como veículo. A Truck Series já contou com dois pilotos brasileiros simultaneamente: Miguel Paludo e Nelson Piquet Jr, que correram pela mesma equipe – a Turner Motorsports – na temporada de 2012, depois permanecendo apenas Paludo, com Piquet subindo de categoria.

 

Pontuação

Desde a temporada de 2011, a pontuação foi mais enxugada, mas mantendo a característica de que todos os pilotos que largarem receberem pelo menos 1 ponto.

O primeiro colocado ganha 43 pontos, o segundo 42, um ponto a menos; e assim por diante, com o último na Sprint Cup (o 43º colocado) recebendo 1 ponto.

Ainda são dados pontos de bonificação: o vencedor ganha mais três pontos, cada piloto que liderou pelo menos uma volta na prova, ganha mais um ponto; e o piloto que liderar o maior número de voltas ganha mais um. Assim, se o vencedor liderar o maior número de voltas, ele leva um total de 48 pontos nessa corrida.

Mas a partir da temporada de 2017 uma mudança radical na pontuação ocorreu, com a definição de bônus não por voltas lideradas, mas sim por posição entre os Top 10 de cada um dos três segmentos em que as provas passaram a ser divididas. Há inclusive, para os vencedores em cada segmento, um bônus extra, chamado de bônus de playoff, que acompanhará o piloto até a prova enterior à grande final.

 

Sistema de Classificação

Para a definição do grid de largada, cada carro entra sozinho e faz duas voltas rápidas. A ordem de entrada na pista é feita através de sorteio. Nem todos que fazem a classificação, entretanto, irão para a largada. Cada categoria tem um limite de participantes. Na Sprint Cup, por exemplo, apenas os 43 primeiros participam da prova.

Existe aqui uma característica única, de que ex-campeões não ficam de fora de uma prova, mesmo que na classificação acabem atrás do 43º lugar. Assim muitas vezes alguns pilotos podem ser preteridos, nessas situações.

Esse sistema de definição do grid é aplicado a todas as provas da temporada, exceto na primeira (a famosa Daytona 500) e a 12ª (a Sprint All Star Race), uma prova extra-campeonato. Nesses dois casos a pontuação depende da realização de pequenas provas, que vão definir o grid final para a prova:

Para a prova de Daytona 500, primeira da temporada, a classificação é modificada e recebe o nome de “Duel At Daytona”. Na verdade são dois Duels – ambos disputados na quinta-feira antes da prova. Os dois primeiros colocados no domingo anterior – na chamada Qualifying Pole – além de garantir de cara a primeira fila no grid da prova, também largam nos Duels na frente do grid.

Os Duels, são provas de 60 voltas para determinar o restante das posições. O primeiro colocado da classificação larga na pole position em uma bateria com os carros que ficaram nas posições ímpares da Qualifying Pole. Na segunda bateria a pole position é do segundo colocado da Qualifying Pole e onde correm os carros das posições pares. O grid é formado assim de acordo com a ordem de chegada nos duels, com os melhores do Duel #1 largando das posições ímpares do grid, e com os melhores do Duel #2 largando das posições pares do grid.

Outra etapa especial do calendário da NASCAR, a “Sprint All Star Race” não conta pontos no campeonato e é considerada a corrida das estrelas. Podem participar da prova os campeões de etapas nos últimos dez anos, que estejam em atividade; os campeões de outras séries da “All Star Race”, os dois melhores colocados na etapa “Sprint Showdown”, e um piloto que não conseguiu se classificar pela “Sprint Showdown” escolhido pelo público.

Atenção: o sistema de classificação teve mudanças radicais para 2014.

Play-offs (ou Chase for Cup)

Desde o início a Nascar previa uma pontuação na qual todos os 43 participantes marcam pontos. Só que em 2003, o campeão Matt Kenseth garantiu o título com apenas uma vitória (em Las Vegas). Nas 25 provas seguintes, Kenseth finalizou sempre entre os dez primeiros colocados. Além disso, permaneceu na liderança do certame por 33 semanas consecutivas.

Por este motivo, em 2004, os dirigentes da categoria dividiram o calendário de 36 corridas em duas partes. As regras válidas desde 2004 até 2006 (vide mais abaixo o novo formato a partir de 2007, e a última alteração feita a partir de 2011), eram as seguintes:

Nas 26 primeiras provas de cada temporada os pilotos correm para selecionar os dez primeiros colocados. Ao final dessa 1ª fase os pontos são reajustados para cada um dos 10 primeiros, de tal sorte ao primeiro ficar com 5.050 pontos, o segundo ficar com 5045, e assim sucessivamente até o 10º, que fica com 5005 pontos. Pela nova pontuação apenas os 10 podem ser o campeão na temporada, disputando o título nas dez provas restantes.

Atualizações Importantes:

Para a temporada 2007 da Nascar a organização determinou que os 12 (doze) primeiros é que passarão para os play-offs, ao invés dos 10 que eram definidos até 2006. Outra alteração muda a pontuação que esses 12 escolhidos receberão. Cada um deles receberá 5.000 pontos e mais 10 pontos por cada vitória conquistada na temporada.

Para a temporada 2011 da Nascar a organização determinou que para a definição dos 12 (doze) primeiros que passarão para os play- offs, será feita em duas etapas:

1. passam direto os dez primeiros – pelo critério de pontos;

2. depois selecionam-se os dois com mais vitórias, desde que estejam no máximo na 20ª colocação do campeonato na 26ª etapa.

3. a definição dos dois finais espera-se que seja feita naturalmente, mas se houver empate será lançada mão de critérios para desempatar.

4. os pontos serão dados também de forma distinta:

– para os dez primeiros serão dados 2.000 pontos e mais 3 pontos por vitória na temporada;

– para os dois finais serão dados apenas os 2.000 pontos.

Mas três anos depois da última, a Nascar fez uma revolução no Chase, mudando pratica – e radicalmente – todos os conceitos. Para a temporada 2014 as regras são centradas no espetáculo para o público que urra com os Big Ones, que volta a assistir as provas, porque tem espetáculo e emoção à rodo.

Para começar serão nada menos que 16 os pilotos que entrarão no Chase, mas não se limita a isso, veja abaixo:

1. entram, além do primeiro na pontuação do campeonato (isto é, após a 26ª etapa), os quinze pilotos que venceram na primeira parte da temporada (e tenham participado de todas as etapas) – desde que o piloto esteja no máximo como 30º colocado – e cada um receberá 2000 pontos, mais 3 pontos por vitória ao entrar no Chase;

2. se houver menos que 15 vencedores na temporada, entram – pela ordem de sua pontuação – os melhores colocados (também até o 30º colocado);

3. se houver mais que 15 vencedores, entram os que mais vitórias tem – ou em caso de empate – pela ordem de pontuação no campeonato;

– em qualquer situação, o primeiro colocado vai entrar no Chase, mesmo que seja como o 16º colocado – e com 2000 pontos na carteira;

4. os 16 eleitos disputarão uma rodada de três provas, finda a qual os quatro menos pontuados entre eles serão eliminados – a vitória sempre garantirá a passagem para a segunda fase (mais três provas), independentemente de seu posicionamento;

5. os 12 eleitos que sobraram entram na segunda fase com 3000 pontos – e a partir daqui sem nenhum bônus por vitória e disputam as três provas correspondentes – ao final são eliminados mais quatro pilotos (como no item 4);

6. os oito que ainda ficaram no páreo repetem todo o processo descrito no item, mas agora começarão a rodada com 4000 pontos;

7. finalmente, com apenas quatro dos eleitos permanecendo no páreo, eles vão para a grande final – com 5000 pontos no bolso cada um – a decisão agora coloca a taça na mão daquele piloto do quarteto final, que chegar em melhor posição nessa última prova do ano;

– notar que cada piloto eliminado, passará a contar com apenas 2000 pontos, embora sejam somados todos os pontos que eles conquistaram, ao longo das dez provas do Chase…

Atenção: veja mais sobre o novo formato do Chase para 2014.

—–

Link permanente para este artigo: http://www.esportesmotor.com/?p=2619

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.